quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Apetece-me encontrar-te de novo no caminho


"São tudo pequenas coisas, assuntos sem grande importância, factos do passado que vejo saltar em frente dos meus olhos, para mais tarde regressar a ti.

Sei agora que me ensinaste o amor. Sinto que vivi contigo uma coisa tão intensa que não sei se serei capaz de a experimentar de novo. Foi tão bom. Onde quer que estejas, quero dizer-te que foi tão intenso e profundo que não aguentei. E o pior de tudo, foi o que se passou depois, o medo de ficar ligado a ti para além daquela noite.

Penso que estou a ser sincero quando receei que o hábito pudesse estragar o nosso amor. Podes pensar que estou a dizer-te isso agora como desculpa, porque a verdade é que querias continuar e fui eu que fugi, mas o certo (podes acreditar) é que houve uma parte de mim que quis guardar-te como te conheci na noite do Meco, existiu uma zona cá dentro que te quis manter, sem que a passagem do tempo pudesse alterar.

Quis guardar-te junto a tudo o que tenho cá dentro, bem perto do mais íntimo que possuo. Sei que não vou voltar a ouvir os teus passos de amor no silêncio da noite, a vida agora tão inquieta pesa nos meus ombros, estou cansado de chorar a raiva de teres partido, mas quero que saibas que não te esquecerei. Preciso de dizer isto centenas de vezes, necessito confirmar em mim a força que o nosso amor me deixou.

Às vezes,há como que um pavor do nada à minha volta, sobretudo à noite, quando toda a família se vai deitar e fico sozinho no meu quarto às voltas com o meu correio electrónico...


«apetece-me encontrar-te de novo no caminho...»

Acabo por adormecer de cansaço e sonho contigo, ou então imagino que vais aparecer a meu lado, beijos de esperança na luz da manhã, para podermos começar tudo de novo, desta vez sem ir embora.

A verdade é que, como me ensinaste o amor, não sinto mais grande entusiasmo com encontros de uma só noite e não sei se sou capaz de me apaixonar de novo, por isso vou tentar encontrar um caminho, às vezes fico como que a aguardar o teu regresso, noutros momentos apenas contigo dentro de mim, para viver a vida de outro modo."

Daniel Sampaio - Tudo o que temos cá dentro

4 comentários:

Smile disse...

Nunca li... mas fiquei com vontade disso!

o texto ta mto bom!

força miudas :D *

Ecos de jardineiras... disse...

"São tudo pequenas coisas, assuntos sem grande importância, factos do passado que vejo saltar em frente dos meus olhos, para mais tarde regressar a ti."

Um livro fantástico...

Raquel Bernardo disse...

adorei o texto...continuem :)

Pi&Ri disse...

Porque quem lê este livro nunca fica indiferente!

**